Benvindo a Pirenópolis
Benvindo a Pirenópolis

O Cerrado, nosso bioma

Pirenópolis está geograficamente totalmente inserida no bioma Cerrado. Por ser região de transição entre a depressão do Tocantins e os altiplanos do Planalto Central, onde se localiza Brasília, as altitudes variam da ordem de 600 a 1300 metros, dando à região uma variação fisionômica muito alta. É possível encontrar desde matas, densas e úmidas a campos altos e limpos.

Definição

Cerrado rupestre
Cerrado rupestre

O que é o Cerrado - O Cerrado é um bioma típico do continente sul americano. A principal caracteristica deste bioma se refere às estações climáticas, divididas em duas estações muito bem diferenciadas: a estação da seca e a estação das chuvas. Esta característica, que ocorre à milhões de anos, consolidou as formas de vida e a geologia do local. Há a predominância de latossolos ácidos e bem lixiviados. Reconhecida como uma espécie de savana, possui fauna e flora com características bem peculiares. Há um mosaico de tipos de solos que determinou um igual mosaico de tipos de vegetação, são as fitofisionomias, onde encontramos: campos, cerrados, matas e veredas num mesmo campo de visão.

Galerias de imagens
Parque dos Pireneus
Cidade de Pedra
Flores do Cerrado

Conheça também

Clima

Pôr do sol no Pico dos Pireneus
Pôr do sol no Pico dos Pireneus

Tropical sub-úmido com duas estações bem definidas: a estação das chuvas, que vai de outubro a março, e a da seca, que vai de abril a setembro. O município, por ser parte montanhoso, mantém algumas variações climáticas devido às altitudes. Com uma serra ladeando o lado leste do município em sentido sul-norte, bloquea em parte as correntes úmidas do sudeste de forte influência marítica. Recebe, por esta conformação de relevo, principalmente nas épocas das chuvas, umidade vinda do norte-noroeste, de origem amazônica. Os ventos predominantes são sudestes, que chegam por sobre a serra. Podendo ocorrer lufadas de vento de norte nos períodos das chuvas. Os períodos mais críticos são setembro/outubro quando a seca é forte e o sol começa a esquentar, e entre fevereiro e março, quando a umidade está muito alta e começa a esfriar.

Aspectos físicos

vista da cidade do alto da serra
vista da cidade do alto da serra

Abrangência - 22% do território brasileiro é ocupado por esse bioma, que abrange todo o Centro Oeste, invadindo parte do Sudeste, parte do Norte e parte do Nordeste brasileiro. Há uma mancha de cerrado nas Guianas. Apenas 2% deste bioma é composto de cerrado rupestre (sobre rochas). A transição entre o cerrado e a mata amazônica não é abrupta, fundem-se em manchas e no chamado mato grosso (matas semicaducifólias) até total transição por longo trecho ao norte. Ao sul o Planalto Central aparenta distinto limite, apesar de haver cerrado no norte de Minas e São Paulo.

Relevo - Pirenópolis se localiza bem no centro, ocupando partes altas do Planalto Central e partes baixa do Mato Grosso Goiano. Circundado do nordeste ao sul por serras, que são os contrafortes do Planalto, possui um relevo acidentado, que varia de cerca de 650 a 1400 metros de altitude. Portanto, temos: áreas altas com campos de altitude, inundáveis e semi-inundáveis e veredas (várzeas), de topografia suave; Paredões, escarpas e picos rochosos, com cerrados rupestres (sobre rochas); Vales abruptos com matas úmidas rodeadas de cerrado e campos; e planicies com cerradão e matas (úmidas e secas).

Hidrografia - Por causa deste relevo acima descrito, a região é rica em nascentes. As serras, que cortam o município, são divisores de duas das maiores bacias hidrográficas brasileiras, a Platina, ao leste e sul, e a Tocantinense, ao oeste e norte. Portanto poucos são os rios caudalosos, principalmente próximo à cidade, que fica próxima a serra. Mais ao norte e noroeste do município temos rios mais volumosos, como o Rios das Almas, o Rio do Peixe e o Maranhão.

Fitofisionomias

vista de vereda e cerrado rupestre no vale do Morr
vista de vereda e cerrado rupestre no vale do Morr

As fitofisionomias, que são os tipos de vegetação, é uma das características mais marcantes do Cerrado. As principais são:

Matas úmidas - São matas que acompanham os córregos e rios. Conhecidas também como matas de galeria ou mata ciliar, mantém sua folhagem sempre verde durante todo o ano. As principais espécies de mata úmida são normalmente árvores frondosas de tronco liso e folhas pequenas. como: tamboril, jatobá-da-mata, canela-de-grota, jequitibá, palmito-jussara etc.

Matas secas - São matas que ficam mais afastadas dos cursos d'água. Conhecidade como matas de interflúvio e florestas semi-decídua. Tem este nome, devido a partes de suas espécies perderam folhas durante o período de seca. As principais espécies são árvores frondosas: aroeira, ipê, pindaíba, pau-d'óleo, umburuçu etc.

Cerradão - Vegetação de transição entre a mata-seca e o cerrado, podendo ser confundido com ambos. Possui árvores frondosas de matas com espécies tortuosas de cerrado. Vegetação de porte sub-arbóreo e de densidade média-alta.

Cerrado - Conhecido também como campo cerrado e cerrado sentido estrito. É aquele que mais representa este bioma. Espécies vegetais arbustivas, bastante tortuosas, raízes profundas, cascas grossas, folhas largas são suas principais características. Possui densidade média e uma peguena, mas significante, população de gramíneas e erbáceas. ex: pau-terra, pau-santo, pequizeiro, carvoeiro, barbatimão etc.

Campo sujo - Ou cerrado ralo. Onde a densidade de gramíneas e plantas erbáceas é maior que as arbustivas. Além das gramíneas, as mesmas espécies do cerrado podem habitar os campos sujos. Há animais típicos de campos, como as emas, seriemas, lobo-guarás etc.

Campo limpo - Onde praticamente não há arbustos. As espécies que predominam são gramínias e ervas rasteiras. Normalmente são solos rasos, arenosos, e bastante pobres. Nesta classificação encontramos os campos inundáveis: que, por possuir solo raso e argilas higromórficas armazenam água durante o período das águas e as retem durante um bom período de seca; e os campos de muruduns: campos com pequenas ilhas de vegetação arbustivas que são formadas pela atividade de cupinzeiros.

Veredas - Também conhecidas com várzea ou várgem. São pequenos cursos e nascentes d'águas, que circundados por campos ou cerrados ralos, possuem uma vegetação hidrida em torno destes córregos, marcada pela presença de palmeiras, como buritis, e espécies de mata e de campo.

Cerrado rupestre - São cerrados nascidos sobre rochas, podendo ser ralo ou denso. São espécies típicas: flor do pau, árvore do papel, cajú, clusia, guatambu, bromélias, orquídes, líquens, musgos etc.

Geomorfologia

Pedra do Jacaré - Parque dos Pireneus
Pedra do Jacaré - Parque dos Pireneus

Origem - A formação geológica da região e de quase todo o interior do Brasil e bioma cerrado é datado do período pré-cambriano, cerca de 1,100 a 1,500 bilhões de anos. Considerado como uma das rochas mais antigas do planeta. De formação sedimentar, estas rochas metamórficas são, aqui em Pirenópolis, na sua maioria quartizíticas. A teoria é que neste período provenientes da erosão de um antigo continente, sedimentos foram se consolidando no funco de um mar, dando origem a placa tectônica de São Francisco, que emgloba todo o continente sul-americano. Por volta de 1 bilhão de anos atrás, isto se ergueu do mar formando o continente. Neste longo período, esta sólida estrutura cristalina, foi sendo cercada de mar e atingida por grandes intempéries. A parte central, que é o local de nosso estudo, distante do mar, passou por períodos distintos de secas e chuvas, que cavaram os vãos dos grande rios continentais como o São Francisco; o Rio Grande; O Tocantins e Araguaia; o Pantanal, Paraguai e Paraná; o Amazonas e todos os seus afluentes, moldando rochas, formando solos e propiciando a formaçãode vida em nosso continente.

Geologia - A rocha predominante em nossa região é o quartizito micáceo, uma rocha sedimentar de metamorfização branda com alto teor de silíca, alumínio e ferro. Esta rocha é comercializada para a construção civil,que a utiliza para pisos e revestimentos, sendo a principal fonte de renda do município. Existe pouquíssimas ocorrências de arenitos e filitos, mas há. Havia até um garimpo de esmeralda no xisto betuminoso encontrado a poucos quilômetros da cidade, onde encontramos e presença de outros tipos de berilos, piritas, rutilo etc. A presença de cristais de quartzo é abundante, mas não de forma valiosa para o comércio, como cristal translúcido. O ouro já há muito retirado de nossos aluviões, ainda é encontrado em alguns poucos garimpos clandestinos. No mais, é quartizito, quartizito e mais quartzitos, rocha de alta dureza.