Benvindo a Pirenópolis
Benvindo a Pirenópolis

Artigos e Notícias

Voltar para Notícias

26/03/2011

Pirenópolis foi selecionada para receber projeto-piloto em práticas sustentáveis

Pirenópolis foi selecionada entre cinco cidades brasileiras para receber ações que visam incentivar práticas de coleta seletiva e reciclagem. Veja a íntegra da notícia publicada no site da WWF


"Belo Horizonte (MG), Caxias do Sul (RS), Natal (RN), Pirenópolis (GO) e Rio Branco (AC) são as cinco cidades piloto selecionadas para receber um conjunto de ações relacionadas a consumo consciente e reciclagem total de resíduos.

A iniciativa, concebida pelo Banco do Brasil, e desenvolvida em parceria com a Fundação Banco do Brasil, Agência Nacional de Águas e WWF-Brasil, inclui, também, ações em 14 microbacias hidrográficas, nos diferentes biomas brasileiros.

As cidades foram selecionadas de maneira a contemplar as cinco regiões geográficas do país e os diferentes portes, desde uma cidade pequena, Pirenópolis (Região Centro-Oeste), que tem 23 mil habitantes, até uma metrópole, Belo Horizonte (Região Sudeste), que tem população cem vezes maior - 2,3 milhões de habitantes.

Foram escolhidas como cidades médias Caxias do Sul (Região Sul), com 435 mil habitantes, e Rio Branco (Região Norte), que tem 320 mil habitantes. Como cidade grande foi selecionada Natal (Região Nordeste), onde vivem 785 mil pessoas, sempre de acordo com dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Nestas cidades, as organizações parceiras vão estimular a mudança de comportamento e valores em relação à produção e destino dos resíduos sólidos e disseminar os princípios do consumo consciente.

As ações a serem implementadas nas cidades-piloto vão permitir que os modelos desenvolvidos possam ser replicados nos demais municípios brasileiros, ajudando a diminuir a quantidade de resíduos que vai para os lixões.

A ampliação e o aprimoramento da coleta seletiva e da reciclagem proporcionam, ainda, trabalho e renda para catadores de materiais, pequenos e médios empreendedores. Além disso, colaboram para diminuir a pressão sobre os recursos naturais.

Agricultura

No meio rural, os parceiros desenvolverão ações em 14 microbacias hidrográficas, incentivando a agricultura sustentável por meio da adoção de práticas voltadas à melhoria da qualidade das águas e à ampliação da cobertura da vegetação natural.

A iniciativa prevê, também, a realização de estudos para aperfeiçoar os critérios socioambientais utilizados nos processos de financiamento e investimento do Banco do Brasil, contribuindo para a redução de risco e impactos socioambientais. E prevê, ainda, ações para aprimorar os modelos de negócios voltados ao desenvolvimento regional sustentável e ampliar o portfólio de produtos e serviços financeiros com contribuição socioambiental do BB.

As 14 microbacias estão localizadas em dez bacias hidrográficas distribuídas nos diferentes biomas brasileiros: Cerrado: Paranaíba, Alto Paraguai, Paraná e Médio São Francisco. Mata Atlântica: Tietê e Litoral Sul-ES/Paraíba do Sul. Amazônia: Purus e Tapajós. Caatinga: Baixo/Médio Parnaíba. Pampa: Litoral RS. A delimitação exata da área a ser trabalhada em cada microbacia ainda está em fase de definição.

De acordo com a secretária-geral do WWF-Brasil, Denise Hamú, a iniciativa tem o potencial de colaborar decisivamente para o desenvolvimento sustentável do país. "Com esta parceria inovadora, trabalhamos em todos os biomas para desenvolver modelos de produção sustentável para propriedades rurais, que poderão ser replicados em todo o País. Da mesma maneira, os sistemas a serem desenvolvidos nas cinco cidades piloto, também vão servir de modelo para os demais municípios brasileiros, de todos os portes", disse.

Segundo o superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, é possível melhorar os processos de produção no campo, de maneira a preservar as fontes de água e a vegetação natural. "Boas práticas agrícolas protegem a natureza, agricultores e consumidores", diz.

Nos centros urbanos, de acordo com Scaramuzza, também há muito a avançar. "A maioria dos municípios brasileiros não tem coleta seletiva ou reciclagem. Agora, poderemos construir o caminho para fazer esta transição", completou.

De acordo com o IBGE, apenas 8,2% dos municípios brasileiros fazem a coleta seletiva e só 6% reciclam o lixo.

Fonte: WWF Brasil

Matéria publicada em 26/03/2011 às 11h43min.