Benvindo a Pirenópolis
Benvindo a Pirenópolis

Agenda de Eventos

EVENTO PASSADO, já realizado!

IX Slow Filme

13SETqui

/

16SETdom

IX Slow Filme

Festival de cinema e gastronomia

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA, ALIMENTAÇÃO E CULTURA LOCAL

Festival destaca a presença feminina na gastronomia e celebra a Itália, país que criou o movimento Slow Food

  • 11 filmes em quatro dias de intensa programação
  • Exibição de documentário inédito e premiado sobre a produção de vinhos na República da Geórgia
  • Degustações de vinhos georgianos e italianos
  • Oficina “Comida e gênero: uma experiência sensorial”

ENTRADA FRANCA

A segunda semana de setembro é tempo de SLOW FILME, o festival que conjuga cinema e gastronomia, em nome da sustentabilidade, do respeito à diversidade e à identidade dos povos. SLOW FILME - FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA, ALIMENTAÇÃO E CULTURA LOCAL é único em seu perfil no Brasil e em 2018 chega à nona edição perguntando: cozinha tem gênero? O evento acontece no Cine Pireneus, em Pirenópolis, de 13 a 16 de setembro, com entrada franca.

Para o 9º SLOW FILME estão programados 11 longas-metragens, quase todos inéditos nas telas brasileiras. Sob a curadoria do cineasta, professor e crítico Sérgio Moriconi estão títulos produzidos na Itália, França, Áustria, Portugal, Brasil, Austrália, República da Geórgia, Estados Unidos e Líbano. Será possível ver, em primeira mão, o premiado “Prime Meridien of Wine” (Meridiano do vinho), da diretora e atriz georgiana Nana Jorjadze, que mostra, de maneira divertida, o processo tradicional de produção de vinho na Geórgia – que ainda segue métodos de oito mil anos atrás. O filme conquistou prêmios em festivais na França, Estados Unidos e Espanha, entre outros.

A programação acontece de quinta a domingo e, além da projeção de filmes, terá conversas com realizadores e especialistas, oficina e degustações gratuitas. SLOW FILME é uma realização da Objeto Sim e conta com apoio das Embaixadas da Itália, República da Geórgia, Áustria, Austrália, Portugal e França.

PROGRAMAÇÃO

QUINTA, 13 DE SETEMBRO
19h – Abertura oficial – Slow Food Story (74min);
Sessão seguida de degustação de cervejas artesanais, gentilmente cedidas pela marca Santa Dica.
SEXTA, 14 DE SETEMBRO
16h – Ama-San (110min);
18h30 – À procura de mulheres chefs (90min);
20h30 – Meridiano do vinho (60min);
SÁBADO, 15 DE SETEMBRO
15h – Lorello e Brunello (85min);
16h30 – A Mentira Verde (97min);
19h – Soufra (73min);
20h30 – Cozinheiros (54min)
DOMINGO, 16 DE SETEMBRO
15h – A busca do chef Ducasse (84min);
16h30 – Atum, Farofa & Spaguetti (95min);
18h30 – Churrasco (102min).

SINOPSES

A BUSCA DO CHEF DUCASSE (La quête d'Alain Ducasse), França, 2017, 84min. Direção: Gilles de Maistre. Qual é a missão de Alain Ducasse, o garotinho de Landes que se tornou o mais renomado chef e mentor culinário do mundo? O que busca um homem que parece já ter conquistado tudo? Com 23 restaurantes pelo mundo e 18 estrelas Michelin, Alain Ducasse continua a criar novos restaurantes, a construir escolas, a expandir as fronteiras de sua profissão com uma curiosidade sem limites. Ele viaja incessantemente pelo mundo, porque para ele cozinhar é um universo infinito. Esse homem público, mas tão misterioso ainda, aceitou ser seguido por quase dois anos, abrindo assim as portas do seu mundo em constante evolução.

A MENTIRA VERDE (The Green Lie), Áustria, 2018, 97min. Direção: Werner Boote. Carros elétricos ecologicamente corretos, produtos alimentícios produzidos de forma sustentável, processos de produção justos. Uau! Se tudo o que as corporações nos dizem é verdade, podemos salvar o mundo somente com nossas decisões de compra! Uma mentira popular e perigosa. Em seu novo documentário, Werner Boote nos mostra, junto com a ambientalista Kathrin Hartmann, as imagens de marketing sustentável (greenwashing) que grandes atores globais fizeram nos últimos anos com o intuito de recuperar a confiança da crescente multidão de clientes céticos. Eles discutem as conexões entre ecologia e economia e os erros de políticas que transferem a responsabilidade de uma gestão justa e sustentável de recursos para os consumidores.

À PROCURA DE MULHERES CHEFS (A la recherche des femmes chefs), França, 2016, 90min. Direção:  Vérane Frédiani. O mundo da gastronomia é dominado por grandes chefs homens. Mas por que isso acontece? Para conduzir essa investigação, Vérane Frédiani viajou os quatro cantos do mundo e foi ao encontro de mulheres ativas, que trabalham duro para treinar suas equipes e inovam na alta gastronomia. Ao longo do filme, estão mulheres que lideram as cozinhas de ótimos restaurantes, mas que estão também nas escolas e mesmo fazendo comida de rua. São ainda sommeliers, ativistas, que lutam diariamente para existir em esferas masculinas, que promovem o desenvolvimento sustentável e que querem mudar o mundo através de sua visão de gastronomia, expandindo o papel das mulheres na sociedade.

AMA-SAN, Portugal e Japão, 2016, 112min. Direção: Cláudia Varejão. Em terras japonesas, uma "ama", que significa literalmente "pessoa do mar", é uma mergulhadora que se dedica à recolha de abalones, algas, pérolas e outros tesouros marinhos. Esta prática ancestral leva mulheres de várias idades a mergulhar no mar em apneia, sempre sem ajuda de cilindros de oxigênio, conseguindo manter-se com a respiração suspensa até dois ou três minutos. Após a submersão, cada uma delas regressa à casa, onde prossegue o seu dia-a- dia, tal como qualquer outra mulher da vila. Apesar de bastante perigosa, esta atividade assegura-lhes a própria subsistência e de suas famílias, dando-lhes alguma independência financeira e tornando-as parte de uma estrutura familiar semi-matriarcal, incomum na cultura japonesa de outros tempos.

ATUM, FAROFA & SPAGUETTI, Brasil, 2017, 95 minutos. Direção: Riccardo P. Rossi. Três amigos, todos chefs de cozinha, fazem juntos uma intensa viagem. Joca Pontes, Duca Lapenda e André Saburó figuram com destaque na cena gastronômica pernambucana, assim como no Brasil e no mundo. Como pano de fundo, um chamado para que Joca realizasse um jantar no Ze Kitchen Galerie, renomado restaurante com uma estrela Michelin, no qual o pernambucano trabalhou na temporada em que viveu em Paris. Sob a direção do italiano Riccardo P. Rossi, o longa é um interessante diário de viagem ao mostrar como as origens e histórias de cada um, suas raízes familiares e vivências pessoais, deixam marcas em suas personalidades culinárias. Ao mesmo tempo é uma reflexão sobre a gastronomia brasileira e sua essência e como ela pode agregar a pratos de outros países.

CHURRASCO (Barbecue), Austrália, 2017, 102min. Direção:  Matthew Salleh. O churrasco é mais do que grelhar um pedaço carne. É um ritual realizado meticulosamente ao redor do mundo. As histórias contadas em volta das fogueiras se tornam uma maneira de unir o mundo. Em uma sinfonia de carne e fogo, do Texas à fronteira com a Síria, de 'Shisanyama' na África do Sul a ‘Engangsgrill’ na Suécia, “Barbecue” nos mostra como um ritual cotidiano é compartilhado por culturas ao redor do mundo, como uma forma de celebrar a comunidade, a amizade e a tradição. Vencedor do James Beard Award de Melhor Documentário 2018.

COZINHEIROS (Cucini), Itália, 2017, 54min. Direção: Ciro Fabbricino. Um filme que recupera o quão nobre e profunda é a história da comida em Nápoles. “Cucini” faz uma viagem por sabores, odores e cores da tradição gastronômica napolitana através de cinco chefs napolitanos de prestígio. Mario Avallone, Raffaele Cardillo, Gena Iodice, Giuseppe Maiorano e Antonio Tubelli revelam seu caminho pessoal e profissional, abrindo as portas de sua medmória e de sua paixão pela gastronomia. As emoções destes chefs vêm acompanhadas de receitas e traçam uma investigação histórica através da qual se passeia por um itinerário de séc