Benvindo a Pirenópolis
Benvindo a Pirenópolis

A Folia do Divino

Dentro as manisfestações religiosas da Festa do Divino, a Folia do Divino é marcadamente uma das mais profundas e ricas. Promovida por devotados e leigos religiosos, esta parte da festa movimenta centenas e até milhares de pessoas, algumas com grande fervor religioso ao Divino Espírito Santo e um outro tanto por farra e alegria.

Veja também
A Festa do Divino
Galeria de imagens da Festa do Divino de 2005
Galeria de imagens da Festa do Divino de 2006
Galeria de imagens da Festa do Divino de 2008

Características

A folia rural chegando numa fazenda para o pouso

Há basicamente dois tipos de folia: a folia da roça ou rural e a folia da cidade.

A Folia Rural - Talvez seja este o mais original elemento da Festa do Divino, se considerarmos a tese de que a festa teve origem com os reis alemães da baixa idade média quando percorriam a região angariando fundos para alimentar e prover o povo em época de penúria.

Compõe-se de centenas de cavaleiros que durante uma semana ou mais percorrem a zona rural visitando fazendas. O objetivo, além de levar as bênçãos do Divino, é recolher esmolas e chamar o povo para a festa. A alimentação e o pernoite é dado aos devotos foliões por fazendeiros, os chamados Pouso de Folia. Nestas fazendas há grande festa, chegando a reunir milhares de pessoas durante a noite. Há muita fartura (veja mais), tachadas de comida é dada gratuitamente a todos e para os donos da fazenda oferecer o pouso é receber em casa o Divino Espírito Santo, uma benção.

A Folia Urbana - Também conhecida com Folia da Cidade, é muito semelhante à rural, com a diferença que os devotos foliões andam à pé e não a cavalo, e visitam as casas na rua. É menor em número de participantes e a maioria pernoita em sua própria casa. Mas, de resto, as bandeiras as invocações e a liturgia é bastante parecida com a Folia da Roça.

A expressão religiosa da folia é feita em sua totalidade através de cantorias que invocam o Divino Espírito Santo e os nomes santos da cristandade. Os músicos são o centro desta expressão. Entre eles, a função do embaixador da folia assemelha-se ao de um sacerdote. Os embaixadores são os principais responsáveis pelas invocações, cânticos e composição das letras. Várias cantorias são realizadas, cada uma tem a sua coluna, como é chamada o enredo e a composição, para cada ocasião. Algumas cantorias podem durar mais de hora. Entre elas, destaca-se a "Chegada ao Pouso" e o "Agradecimento".